será assim?

•outubro 1, 2009 • 2 Comentários

E de resto o nada que ficou
fechou a porta e olhou pra mim.
O mundo atrás bem que tentou,
fechei os olhos, é o nada enfim.

a cidade invisivel

•setembro 16, 2009 • 2 Comentários

A cidade é invisivel,

multipla de sentidos e todas as direções.

Carne crua ao sol ardente

perambulando meio ausente.

Está cidade paira pelo ar.

Não é uma, ela é muitas.

São todas sobrepostas

por suas arestas opostas

em ângulos inimagináveis.

São todas loucas, gritam roucas.

Todas elas querem nos enlouquecer.

E cada uma delas quer sua parte no seu desespero.

Quer lhe roubar silêncio e profundidade,

lhe fechar os olhos e os ouvidos.

O seu teor é o caos que vem cultivando a anos,

pelos berros e sussuros, pelos cantos obscuros,

pelos assassinos maquiavélicos,

pela ácidez estomacal,

por toda estrutura de concreto e metal.

a tudo falta teor, sobra calor, falta sabor, sobra vapor,

não se têm amor cultiva-se a dor.

quem sabe um dia em um futuro distante… cidades serão habitáveis.


Judith box

•setembro 9, 2009 • 2 Comentários

Como num conto pela manha

Judith abriu a porta

e lá estava uma pequena caixa.

Olhou ao redor, nada demais.

A duvida lhe invadiu a alma,

o dia lhe engoliu a calma.

Tudo o que poderia acontecer.

Melhor esconder? melhor fugir?

Melhor sofrer? Melhor abrir?

Uma cabeça é pequena demais

para tantas duvidas.

O caminho é um atalho

e o dia foi chuvoso.

Não temos onde ficar.

De qualquer forma

amanhá é outro dia

e a duvidá será certeira

e ela abrirá a caixa

e saberá a diferença entre sonho e pesadelo.

Não queira saber.

A escolha você ja fez

E o peso é bem maior do que parece.

E o dia que alguem der nome aos anjos

e aos demônios saberemos onde estamos.

por enquanto guarde suas duvidas

por enquanto quero dormir e sonhar.

Pablo Picasso - Young Girl Reading A Book On The Beach

ecce lupus

•dezembro 4, 2008 • 2 Comentários

 

 

de como nos tornamos o que não somos

 

um dia

uma hora

um punhal

uma roda

um pouco a mais

um punhado

uma caverna

uma casa

uma linha

uma cerca

uma lingua

um país

uma “raça”

uma ovelha

um pastor

um tear

uma maquina

um salario

 

um muro 

outro muro 

um tiro

escuro

um muro

uma palavra

duas palavras

um pouco a mais

 

poder

informação

massa de modelar

liberdade?

liberdade?

 

muro

olho e visão

arroz feijão

circo e pão

televisão

liberdade?

 

nada muda

filho da puta

tudo se aguça

agua esta suja

a alma esta suja

o sangue esta ralo

o corpo esta frágil

tudo se vai pelo ralo

tudo em vão?

desde o primeiro dia

sinto a mesma sensação

sempre um pouco mais intensa

engolindo devagar meu coração.

dik_by_nikolof_pqno

Zero Kelvin

•agosto 27, 2008 • 6 Comentários

Saí à rua, voltei a noite.

Alguém mudou as arvores de lugar

O céu também não estava na mesma posição

Nuvens passavam baixas e rápidas

O chão parecia afundar lentamente

Não encontrei ninguém, ninguém…

A cidade ecoava o silêncio, silêncio…

E do silêncio vinha um vento frio

E frio virou vento e veio forte

O vento virou gelo e nevou.

E a neve mudou a negra noite em branco total.

Andei prendendo ar quente sem respirar.

Andei… .Andei… .Vaguei… .Sonhei…

Dancei em pensamento não sei, não sei mais nada,

Estou sozinho, não sei mais nada, Quem sou?

Me tornei nada, matéria escassa, a junção, a fusão de tudo.

Me tornei branco, nada mais que uma folha em branco.

Cheguei ao Zero…

Nasceu a palavra, ao zero somou-se vários, o branco acabou!

E no país do gelo a cor voltou, o sol raiou forte e refez todo o mundo ao redor,

todos voltaram ao seu devido lugar e uma grandiosa festa começou.

Ponto

•julho 7, 2008 • 3 Comentários

ponto cego
atrás das cores.
ponto flutuante
ante os dias.
cores flores cores.
fluorescente.
incandescente.
descente.
indescente.
desce.
nascente.
esconderijo.
ponto cego.
ponto.
ego.
prego.
lego.
não nego.
brinquedo quebrado.
calado.
trancado.
cada lado.
um lado.
dois lados.
tomando coca.
comendo.
tomando coca.
cola.
cola aqui.
cola acolá.
sempre viva.
sempre livre.
sempre.
sem.
sem sombras.
duvida.
sobras.
divida.
dividida.
dádiva.
dá.
deu .
deutério.
telurio.
escuro.
puro .
muro.
mudo.
esteriotipado.
precipitado.
encarcerado.
parado .
pronto.
ponto.

Curitiba refletida

•abril 2, 2008 • 18 Comentários

A cidade chama

A cidade clama

A cidade em chamas

A cidade engana

 

 

Pelas ruas as pessoas chamam silenciosamente

O rio Belém chama por nós

Ele está em nós

Corre na nossa veia

Umedece nossa alma

Enfeita nossa casa

Por isso chamamos baixinho, ninguém deve nos ouvir.

O dia chega e chama e por estarmos silenciados não nos escuta.

E então a chama se apaga

E o dia se torna cinza

E a noite se torna o refúgio

Curitiba passa rápida e não olha pra ninguém ao lado

Curitiba é noturna, Curitiba é escura.

O nosso inconsciente esta nas ruas declarado.

Curitiba é expressionista,

Somos fisgados pelo nosso rio

Pela nossa alma

Pelo nosso reflexo

Narcisos de um rio nauseabundo,

Até nossa alma se tornar sólida.

Curitiba ainda chama

Curitiba quer falar.

24def68ce326ffd7.jpg